Guarda Municipal de Petrolina

Páginas

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Câmara vai promover esforço de votação da PEC 534 na primeira semana de dezembro

O objetivo é analisar projetos que estão prontos para a pauta do Plenário. Poderão ser votados 49 itens entre PECs, projetos de lei complementar e projetos de lei. A proposta foi apresentada pelo presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, na reunião de líderes desta terça-feira (12).

Câmara vai promover esforço de votação na primeira semana de dezembro
foto: J Batista
Líderes partidários apoiaram a proposta de Henrique Alves

A Câmara vai realizar um esforço de votação na primeira semana de dezembro (2 a 6) para analisar projetos que estão prontos para a pauta do Plenário. A intenção é votar 49 itens entre PECs, projetos de lei complementar e projetos de lei. A proposta foi apresentada pelo presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, na reunião de líderes desta terça-feira (12).
Todos os líderes partidários apoiaram a proposta e devem sugerir novos itens à lista apresentada por Henrique Alves. O esforço também envolve o destrancamento da pauta do Plenário até o fim deste mês.
Entre as propostas que podem ser votadas na primeira semana de dezembro está a PEC 534 que regulamenta a guarda municipal!

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Por quê as Guardas não tem direito a pistola .40 ?


 

Por quê as Guardas não tem direito a pistola .40 ? A vantagem de uma bala que não atravessa o alvo é que ela não vai acertar sem querer alguém que estiver atrás dele. Precisão e munição A vantagem de uma bala que não atravessa o alvo é que ela não vai acertar sem querer alguém que estiver atrás dele. Ou seja, apesar de fazer maior estrago, faz menos vítimas não intencionais. A não ser, claro, que o policial resolva usar todo o arsenal. No 38 cabiam 7 balas; na pistola são 16. E no cinturão ele carrega mais 30 balas extras. Por encomenda A pistola .40 foi criada nos anos 70 a pedido do FBI. Isso aconteceu depois de uma perseguição em que dois agentes foram mortos por fugitivos. Como um dos criminosos levou 12 tiros antes de parar de atirar, a polícia percebeu que precisava de uma arma com maior poder de parada - e desenvolveu a .40. Mas... poder de parada? Leia mais em:


José Vicente defende, porém, que os Estados autorizem os policiais a levarem para casa a arma corporativa, que usam nas ruas, ao invés de adquirirem uma arma para uso pessoal. “Alguns Estados, como São Paulo, permitem que o PM tenha acautelado sob sua posse este material. A arma e o colete são de posse do policial, são de uso dele para proteção”, afirma. Leia mais em:


Foto disponível em: