Guarda Municipal de Petrolina

Páginas

segunda-feira, 13 de maio de 2013

Servidores municipais de Petrolina permanecem em greve por tempo inderteminado


servidores2_640x480
Os servidores municipais de Petrolina continuarão em greve por tempo indeterminado. De acordo com o Sindsemp, o sindicato da categoria, a contraproposta apresentada pela prefeitura não contempla uma parte dos trabalhadores e ainda exclui algumas gratificações, como o pó de giz dos professores.
Segundo a presidente do Sindicato, Léia Araújo, a proposta do Executivo é criar a Gratificação Especial de Regência de Classe (GERC) para os servidores do Magistério. “A prefeitura propõe a criação desse novo benefício, mas exclui o pó de giz. A mudança traz prejuízo para os professores”, explica.

De acordo com uma nota divulgada pela assessoria de comunicação da prefeitura, o Executivo ainda propôs o reajuste salarial de modo que todas as secretarias fossem contempladas e o salário-base fosse igualado ao salário mínimo. No entanto, segundo Léia, nem todos os trabalhadores seriam beneficiados com esse aumento.
A justificativa apresentada oficialmente pelo prefeito de Petrolina, Júlio Lóssio, sobre a impossibilidade de conceder reajuste aos servidores municipais por conta da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), não convence plenamente as lideranças do Sindicato da categoria, o Sindsemp.
Em greve desde dia 08 de maio, a entidade alega que existem recursos suficientes na prefeitura que garantam o reajuste salarial reivindicado pelos servidores.
O Blog teve acesso aos números da arrecadação fiscal do município entre 2012 e 2013, o que corrobora com a tese do Sindsemp. O balanço, feito sempre entre os meses de janeiro a abril, é positivo para os cofres da prefeitura.
Nesse período, no ano passado, o total arrecadado pelo município foi de R$ R$ 44,65 milhões – entre Fundo de Participação dos Municípios (FPM), Fundo de Saúde, ISS e Fundo para a Educação Básica e Valorização dos Profissionais do Magistério (Fundeb) –, ante os R$ R$ 51,82 milhões este ano. Ou seja, a prefeitura teria, em caixa, R$ 7,16 milhões dos repasses.
Fonte: Carlos Britto
 A Guarda Municipal também aderiu a greve, funcionando com 50% de seus serviços. A categoria busca além da valorização salarial, melhores condições de trabalho, o serviço prestado pela Guarda Municipal em nossa cidade seria ainda mais eficiente caso fosse atendidas as reivindicações que visam o aumento do número de viaturas, armas, coletes de proteção balística inauguração da sede própria entre outros.

Um comentário:

  1. Pessoal da Guarda Municipal de Petrolina cobrem também mais efetivo, há aprovados do concurso anterior aguardando ser chamados! Tenham visão de futuro, quanto mais efetivo tiver a guarda mais poder ela vai possuir para melhorar as condições! cobrem outra convocação de aprovados!!! fica a dica.

    ResponderExcluir