Guarda Municipal de Petrolina

Páginas

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

INFOGRÁFICO: POPULAÇÃO SENTE-SE INSEGURA EM SP, OMISSÃO DO ESTADO, CULPA-SE A POLICIA?



Muito embora seja considerado baixo o número de pessoas entrevistadas, pelo Ibope, em recente pesquisa, encomendada pela Rede Nossa São Paulo, para apresentação no IRBEM (Indicadores de Referência de Bem-Estar no Município), aonde foi pesquisado 169 itens relativos à prestação de serviços públicos. 
Extraímos os números que referentes à satisfação da população, quanto à segurança pública. A recente onda de violência que assola a cidade de São Paulo é fator predominante para o alto índice de rejeição as instituições policiais.
Nove entre dez pessoas não confiam em suas policias, disparidade essa que vem na contramão dos objetivos, por ora fracassados, na tentativa de aproximar as corporações da sociedade.
A corrupção nas policias e o mau funcionamento dos presídios, são alguns dos motivos expostos como sendo prejudiciais ao trabalho de segurança ofertado ao cidadão.
Levando em consideração que entre as três policias, o número vem aumentando, quanto à desconfiança, cabem a todos nós mudarmos esse foco, e se atentar ao novo paradigma vivido em nossa área. Não podemos deixar de prestar um serviço de excelência à municipalidade, devido o detrimento que arruína os pilares, da corporação a que se trabalha, gerenciado por maus profissionais, que vêem em seus cargos políticos, somente o interesse individual, o qual não pode e não deve sobrepor o interesse coletivo.
Com o avanço das tecnologias, a sociedade á qual servimos, não está preocupada em quem é o vilão. Assim como emissoras de TV, o comportamento das pessoas passou por um processo de “sensacionalismo individual”, onde é tentado a qualquer custo e conseqüência, garantir seus 05 minutos de fama. Celulares, filmadoras, maquinas fotográficas e câmeras espalhadas por todos os lugares, registram tudo o que acontece. O profissional ponta de linha deve redobrar os cuidados no desenrolar de cada ocorrência, partindo sempre da premissa que não podemos resolver os problemas das pessoas, trazendo problemas para nós mesmos. 
Não devemos também culpar somente os operacionais pelo mal resultado nas pesquisas. Políticas de segurança pública falidas, pouco investimento humano e material, maus gerenciadores, leis fracas, aonde as policias que temos são policias pela metade, nenhuma executa por completo o teor constitucional, esse por sua vez, pessimamente elaborado, faz com que os famosos braços-curtos, a utilizem, a fim de se desculpar, com o famoso clichê “Não faz parte da minha atribuição”.
Os números apresentados pelo Ibope devem servir, para os gerenciadores, observarem o comportamento das pessoas, e mudar o direcionamento dos trabalhos realizados pelos agentes. Mudar esse resultado cabe a cada um de nós, em nosso dia a dia, desde o comando da corporação, passando por toda hierarquia, até chegar ao praça, que é quem realmente executa o serviço, pois mesmos sendo leigos no assunto, a população menciona que para melhorar a qualidade da prestação de serviço, deve ser combatido a corrupção dentro das policias e presídios e melhorar as rondas escolares. Será que estão errados?




Autor: GCM DACUNHA

Nota: A reprodução desta postagem é autorizada, desde que reproduzida na sua íntegra e citada a fonte do blog.

Blog: http://amigosdaguardacivil.blogspot.com.br/


Nenhum comentário:

Postar um comentário